Rodóstomos Falso



















Nome Popular: Rodóstomus
Nome Científico: Petitella georgiae
Família: Caracídeos
Habitat: América do Sul. Perú
pH: 5.5 a 6.5
Temperatura: 24º a 28ºC
Dureza: 3º a 12º dH
Tamanho Máximo: 6cm
Sociabilidade: Grupo
Agressividade: Pacífico
Manutenção: Média
Zona do Aquário: Meio
Aquário Mínimo: 100L
Alimentação: Onívoro. Rações, alimentos vivos e congelados.
Características Considerado um dos mais belos Tetras, este pequeno e pacífico peixe também é considerado um dos mais cardumeiros. Seu efeito é inigualável quando há numeroso espécimes bem adaptados. É um peixe ideal para aquário plantado. Deverá mantê-los em grupo de no mínimo 10 exemplares.


Popularmente conhecido apenas como Rodóstomus ou Nariz de Bêbado (Portugal), existem três conhecidas espécies, sendo eles: o "verdadeiro" Rodóstomus de Belém (Hemigrammus rhodostomus) e dois "falsos" Rodóstomus de Manuas (Emigrammus bleheri e Petitella georgiae) . Para diferenciar um do outro é simples: O Hemigrammus rhodostomus e Petitella georgiae possuem parte da cabeça avermelhada sendo que o primeiro possui a listra preta da cauda que se prolonga até quase o meio do corpo do peixe, já no Petitella georgiae esta listra não ultrapassa a nadadeira caudal, acontecendo o mesmo com o Hemigrammus bleheri que chega até 8cm e possui a cabeça toda avermelhada, sendo que os dos dois primeiros raramente ultrapassam os 4cm.


Curiosamente o "verdadeiro" Rodóstomu é o menos colorido destes três e também considerado o mais resistente. Apesar de serem peixes resistentes, são mais frágeis comparados a outros Tetras (ex. Mato-grosso) e se sentem mais confiantes e coloridos quando inseridos com muitos exemplares formando um grande cardume, sendo ideal para aquário comunitário e principalmente plantado. Portanto evite colocá-los em um grupo pequeno e tenha sempre plantas e troncos para se sentirem mais seguro.


O aquarista que deseja adquirir estes peixes deverá ter certeza de colocá-los com peixes pequenos e pacíficos e principalmente atentar na adaptação inicial. Quando capturados e você se deparar com eles boiando na superfície de cabeça para baixo, desmaiado, não se assuste! É apenas uma "tática" que fazem para enganar predadores, normalmente quando solto no aquário, voltam ao normal. Mas a soltura no aquário deverá ocorrer após passar pelo processo de aclimatar o peixe por pelo menos 20 minutos.
Reprodução: Ovíparo. As fêmeas possuem o corpo mais redondo e são levemente maiores. Os machos são mais coloridos.

1 comentários:

  1. Uester disse...:

    Apesar do seu site ser muito bom e possuir informações muito importantes ele me deixou super chateado, pois após ler o texto referente ao rodóstomus tive a certeza de ter feito uma burrada, joguei dois rodóstomus pelo ralo acreditando que eles estavam mortos, pois os mesmos ficaram de cabeça para baixo, flutuando no fundo do aquário. Até então eu só conhecia espécies de peixes que quando tem esse comportamento significava apenas uma coisas, ou estavam mortos ou morrendo.

Postar um comentário